quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Exposição do Santander: ideologia de gênero, pornografia, pedofilia e zoofilia

Exposição do Santander:

ideologia de gênero, pornografia, pedofilia e zoofilia





Por  
 Jurandir Dias

A exposição Queermuseu  - Cartografias da diferença na América Latina,  promovida pelo Banco Satander em Porto Alegre, causou uma sadia indignação da população, expressa principalmente através de protestos nas mídias sociais.

Em face dessa reação, o banco foi obrigado a encerrá-la quase um mês antes do prazo previsto. A exposição teve início no dia 15 de agosto, com previsão para terminar em 8 de outubro. O banco investiu quase milhão de reais, beneficiando-se da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura.

Uma das blasfêmias: a Sagrada Imagem de Nosso
 Senhor é mesclada com a de kahli, deusa hindu da destruição
Pelo seu conteúdo, o objetivo da exposição era promover a ideologia de gênero, deixando transparecer o que esta tem de mais abjeto. Havia quadros que promoviam a prática da pedofilia e da zoofilia. O ódio ao cristianismo foi marcante: profanações e blasfêmias contra as sagradas imagens de Nosso Senhor Jesus Cristo, da Santíssima Virgem, da Santa Igreja e da fé católica. Levando esse ódio ainda mais longe, havia uma mala contendo hóstias com inscrições feitas com material imitando sangue, cujo teor preferimos não descrever aqui.

O site do Ministério da Cultura deixa claro o objetivo da exposição: “Queermuseu é acima de tudo, uma exposição que visa dar projeção à cultura contemporânea, através das inúmeras questões de gênero que ultrapassam os mais diversos aspectos da contemporaneidade, nos objetos, hábitos, no comportamento, nos costumes, na moda, na diversidade comportamental e geracional, na evolução da estética, nas manifestações do corpo através da história e em última análise na construção da arte.” [1]

O presidente da instituição, Sérgio Rial, por sua vez, afirma que a mostra “está ancorada em um conceito no qual realmente acreditamos, a diversidade [...] Trata-se de um valor para a nossa empresa [Santander], pois acreditamos que a diversidade é a impulsionadora da criatividade e da eficiência”.[2]

Tais palavras, contudo, não estão de acordo com o que se lê no site da instituição a respeito de suas premissas: O Santander possui algumas restrições com relação aos seus investimentos em patrocínios, que envolvem: Patrocínios de caráter religioso; Patrocínio de caráter político; Patrocínios que estejam atrelados a bebida alcoólica, cigarro, armamento ou pornografia.”

Em nota divulgada em sua página no Facebook, o Santander pede desculpas, porém reitera que continuará defendendo a tal “diversidade”:

O Santander Cultural não chancela um tipo de arte, mas sim a arte na sua pluralidade, alicerçada no profundo respeito que temos por cada indivíduo. Por essa razão, decidimos encerrar a mostra neste domingo, 10/09. Garantimos, no entanto, que seguimos comprometidos com a promoção do debate sobre diversidade e outros grandes temas contemporâneos[3] (grifos nossos).

A ideologia de gênero é a consequência natural da corrupção moral e dos costumes. A mostra do Santander levanta o véu e revela a face sinistra do tipo de sociedade que a Revolução deseja construir, isto é, igualitária, anárquica e sem Deus, onde tudo aquilo que chamam de “tabu” (valores morais) será destruído. Tal sociedade seria propriamente o reino do demônio na Terra. E para atingir esse objetivo, o lobby homossexual conta com o apoio financeiro de certos macrocapitalistas.

domingo, 3 de setembro de 2017

Pode o efeito ser maior do que a causa?

Pode o efeito ser maior do que a causa?



O comunismo pode ser comparado a um polvo cujos tentáculos são as diversas doutrinas e métodos para destruir a civilização cristã: o aborto, o homossexualismo, o feminismo, a ideologia de gênero etc. Podemos compará-lo também a um câncer, do qual essas ideologias constituem metástases no corpo social.

Um câncer no braço, por exemplo, dificilmente levaria um paciente ao óbito. Contudo, sem os tratamentos adequados, a sua metástase no pulmão – por ser um órgão vital – mataria mais facilmente o paciente.
Paradoxalmente, a ideologia de gênero, mesmo sendo uma consequência do comunismo, é mais danosa à civilização cristã do que o comunismo originalmente concebido por Marx, Engels et caterva, pois o órgão que ela atinge é o  mais importante do corpo social: a família.
A família, como diz o Prof. Plínio Corrêa de Oliveira no livro Revolução e Contra-Revolução, ocupa o principal lugar entre os corpos intermediários da sociedade que a Revolução deseja destruir: “Entre os grupos intermediários a serem abolidos, ocupa o primeiro lugar a família. Enquanto não consegue extingui-la, a Revolução procura reduzi-la, mutilá-la e vilipendiá-la de todos os modos.”
Nessa mesma obra, o autor afirma que “a Revolução vai, pois, se metamorfoseando ao longo da História. Essas metamorfoses que se observam nas grandes linhas gerais da Revolução se repetem, em ponto menor, no interior de cada grande episódio dela”. A ideologia de gênero é, portanto, mais uma metamorfose do processo revolucionário. [i]
O novo Arcebispo de Cracóvia, na  Polônia, Mons. Marek Jedrasewski (foto ao lado),  afirmou que a ideologia de gênero é “mais perigosa que a ideologia marxista e comunista, porque rompe toda a visão antropológica do que é o homem segundo a obra de Deus Criador”.
Segundo o arcebispo, “Bento XVI disse que o gênero é mais perigoso que a ideologia marxista e comunista, porque quebra toda a visão antropológica do que o homem é de acordo com a obra de Deus Criador. É Deus quem criou o homem como homem e a mulher como mulher. A ideologia do gênero, pelo contrário, faz todo o possível para apagar as diferenças entre homem e mulher, o que já é um absurdo do ponto de vista biológico. Mas se você olhar para a visão do homem e da dignidade humana, percebe que não é apenas o homem singular: é uma ideologia que tem consequências dramáticas na vida e na cultura social de hoje. Por esta razão, não se pode estar aberto a esta ideologia, que é profunda contra Deus, o Criador, e contra tudo o que o próprio Cristo nos ensinou.”[ii]
Neste sentido, o efeito parece ser maior do que a causa, mas na verdade é um estágio avançado de um “câncer” chamado comunismo que corrói os fundamentos morais desse magnífico corpo social chamado Civilização Cristã.
___________________________________
[i] RCR – Capítulo IV – As Metamorfoses do Processo Revolucionário
[ii] http://www.acistampa.com/story/il-gender-la-minaccia-piu-pericolosa-parola-del-nuovo-arcivescovo-di-cracovia-5298

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Os pais da ideologia de gênero: filósofos ou loucos?

Os pais da ideologia de gênero: filósofos ou loucos?


Existe um adágio que diz: “A filosofia é uma ciência com a qual ou sem a qual o mundo permanece tal e qual”. Penso o contrário, pois é ela que move o mundo das ideias e das revoluções. Ou seja, a filosofia pode ser usada tanto para o bem como para o mal. Grandes filósofos clássicos como Aristóteles e Platão inspiraram grandes doutores da Igreja como Santo Tomás de Aquino e Santo Agostinho. Contudo, foram filósofos como Rousseau, Montesquieu, Voltaire, Locke, Diderot e D’Alembert, por exemplo, que inspiraram a Revolução Francesa.


Quatro dos principais promotores da ideologia de gênero: Wilhelm Reich, Margaret Sanger, Michel Focault e Margaret Mead.


Tratando-se de certos filósofos modernos, seria melhor que tal ditado fosse verdadeiro. Pessoas desprovidas de qualquer senso moral, tanto pelo exemplo de suas vidas como por suas ideias, instilam o seu veneno na sociedade. Pior ainda, tais “pensadores” são objetos de estudos nas escolas e universidades atuais. Falo principalmente de quatro dos principais promotores da ideologia de gênero: Wilhelm Reich, Margaret Sanger, Michel Focault e Margaret Mead.
A ideologia de gênero, teoria sem base na ciência e na natureza humana, teve como principais idealizadores pessoas que muitas das quais foram parar no manicômio, suicidaram-se ou tentaram suicídio. Assim, comenta Javier Torres no site actuall.com:
É como se alguém tivesse aberto as portas do manicômio e as teorias de seus loucos mais célebres se convertessem em doutrinas mundiais.
“Não há nada objetivo – nem sequer a diferenciação biológica XX e XY, oh cromossomas fascistas! – que determina se somos homem ou mulher. Cada um, e só cada um, decide o que é.
“Tudo se pode negar porque não há nada fora de nós que seja objetivo, dizia Friedrich Nietzsche, o filósofo que inspirou grande parte dos ideólogos de gênero.”
Nietzsche, que disse que Deus está morto, terminou seus dias em um manicômio. Ele está morto. Deus, porém, é eterno. “¡Dios no muere!”, escreveu com o próprio sangue no chão, após cair apunhalado, o presidente-mártir do Equador, Gabriel Garcia Moreno.
 *       *         *
O médico Wilhelm Reich, marxista e grande idealizador da revolução sexual, praticava o vício solitário de maneira compulsiva desde os seis ou sete anos de idade, e inclusive a zoofilia, tendo desenvolvido um forte ódio contra a figura do pai. Em sua clínica de psiquiatria abusava das mulheres praticando suas “terapias sexuais”. Em 1957 morreu em um cárcere. Ele tinha sido diagnosticado com paranoia e esquizofrenia progressiva.
O filósofo francês Michel Foucault pertencia ao Partido Comunista e é considerado um dos maiores idealizadores da ideologia de gênero. Praticava o sadomasoquismo homossexual e consumia drogas. Tentou o suicídio em várias ocasiões, porém morreu de AIDS em 1984.
Margaret Sanger, fundadora da Planned Parenthood –- a maior organização abortista dos Estados Unidos ––, abandonou os filhos por causa de sua ninfomania. Ela morreu em 1966, quando já era uma alcoólatra incontrolável.
A feminista Schulamith Firestone, para quem a maternidade era “a opressão radical que sofre a mulher”, também sofria de esquizofrenia e passou vários anos em uma clínica psiquiátrica. Em 1912 foi encontrada morta em sua residência.
Outra feminista radical foi Kate Millet. Tinha ideias maoístas e tornou-se lésbica não por impulso sexual, mas por ódio aos homens. Quando estava internada em uma clínica psiquiátrica, no final de sua vida, pediu para ser vigiada durante 24 horas por causa de um impulso incontrolável ao suicídio.
Por sua vez, Elizabeth Fischer, amiga de Kate e fundadora da revista feminista americana Aphra, conseguiu suicidar-se. Outras duas feministas, Maria del Drago e Ellen Frankfurt, ambas cubanas, também cometeram suicídio.
Duas importantes feministas, Simone de Beauvoir e Margaret Mead, foram exceções nesta lista macabra de suicidas.
*         *        *
Talis vita, finis ita” –– “tal vida, tal fim”. Aqueles que quiseram destruir por seus atos e suas doutrinas a própria ordem da natureza humana como Deus a criou, acabaram destruindo a si próprios, primeiro com seus vícios e depois com o suicídio.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Como o macro capitalismo financia o comunismo

Como o macro capitalismo financia o comunismo



Os burgueses nos vendem a corda com a qual serão enforcados“. Esta frase, atribuída a Lênin, parece-me verdadeira em parte, ou seja, certos magnatas vendem a corda ao comunismo, mas até hoje não vi nenhum deles ser “enforcado”. Pelo contrário, eles estão por toda parte, continuam a financiar o comunismo e as práticas decorrentes de sua doutrina malévola: o aborto, a ideologia de gênero, o lobby homossexual etc.
O presidente-executivo da Apple Inc., Tim Cook, anunciou recentemente que sua empresa fará uma doação de um milhão de dólares para a organização pró-aborto Southern Poverty Law Center.
Mark Zucherberg (foto ao lado), dono do Facebook, financia as maiores empresas de aborto dos Estados Unidos. Segundo artigo publicado na revista Philanthropy, este megaempresário liderava a lista dos 50 maiores doadores. Em 2013, Zuckerberg doou 992 milhões de dólares para a Fundação da Comunidade do Vale do Silício (FCVS), na Califórnia. Essa quantia, entretanto, foi inferior à destinada por ele em 2012 à mesma fundação: mais de 1 bilhão de dólares. A FCVS faz parcerias com organizações pró-aborto que atuam no mundo inteiro, ajudando os doadores a lhes enviar suas doações.[i]
É do conhecimento de todo o mundo que a Fundação Rockefeller, com atuação também no Brasil, financia há muitos anos o aborto. Ela criou universidades esquerdistas e fundações filantrópicas, além de proporcionar bolsas de estudos aos promotores do aborto interessados em receber treinamento nos Estados Unidos.
Também o Google, a Microsoft e outras grandes empresas têm fundações “filantrópicas” e ajudam generosamente as causas do aborto, da agenda homossexual, da ideologia de gênero etc.
No Brasil, a “Lava Jato” desvendou o maior esquema criminoso de desvio de dinheiro para manter o PT no poleiro. Vemos todos os dias notícias de novas denúncias contra grandes empresários que participaram de esquemas fraudulentos.
Neta e herdeira Peter Luchsinger (acionista e correntista do Crédit Suisse) e sobrinha de Roger Wright (que foi alto executivo desse banco no Brasil), a brasileira Roberta Luchsinger criou a “Bolsa Lula” para ajudar o ex-presidente, cujos bens foram bloqueados pela Lava Jato. Embora Roberta esteja em dívida com o condomínio do edifício onde vive –– conforme noticiou a imprensa ––, ela declarou ter doado meio milhão de reais em dinheiro, objetos pessoais e joias. Nesse valor estava incluído um cheque de 92 mil reais, correspondente à última mesada recebida de seu avô, falecido recentemente.
Um dos grandes financiadores do comunismo soviético foi o magnata Armand Hammer. Nas caixas dos produtos fabricados por suas empresas figura um logotipo comunista, como se pode ver na figura ao lado: um braço (ARM) proletário em forma de foice, depois o símbolo & (AND), e por fim a figura de um martelo (HAMMER).
 A linhagem comunista fazia parte do “DNA” de Armand Hammer. Seu pai era o médico Julius Hammer, o primeiro a se inscrever no Partido Trabalhista Comunista dos EUA e que vivia sob a vigilância federal devido às suas atividades socialistas e comunistas. O Dr. Julius realizava abortos em sua clínica particular no bairro nova-iorquino de Bronx e foi condenado em 1920 a três anos e meio de prisão.
Por ocasião da morte de Armand Hammer, em 12 de dezembro de 1990, o jornal The New York Times escreveu: “O presidente Mikhail S. Gorbachev, da União Soviética, enviou suas condolências à família Hammer e disse em uma declaração que o Dr. Hammer ajudou a forjar relações soviético-americanas. Ele ‘foi associado a uma das páginas mais notáveis do nosso relacionamento’, acrescentou Gorbachev. ‘Ele se encontrou com Lênin e estava muito próximo de muitas maneiras da União Soviética e da Rússia’.[ii]
Com a “filantropia” de certos macrocapitalistas, o comunismo vai destruindo os bons costumes, a moral e a civilização cristã.
_________________________
[i] http://juliosevero.blogspot.com.br/2015/08/mark-zuckerberg-dono-do-facebook-doa.html
[ii] http://www.nytimes.com/1990/12/12/obituaries/armand-hammer-dies-at-92-industrialist-and-philanthropist-forged-soviet-links.html?pagewanted=all&mcubz=0

domingo, 20 de agosto de 2017

Buscando no passado os valores perdidos

Buscando no passado os valores perdidos



sexta-feira, 11 de agosto de 2017

TFP americana contra o satanismo nas escolas


TFP americana contra o satanismo nas escolas

A Sociedade Americana de Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP) tem desenvolvido uma campanha contra a organização satânica After School Satan Club, a qual visa ensinar o satanismo para crianças nas escolas públicas sob a alegação de ter o mesmo direito que outra organização de orientação cristã chamada “Clubes de Boas Notícias“, que promove o ensino religioso nas escolas públicas do País.
Em declaração à BBC Brasil, a diretora nacional do After School Satan Program, do Templo Satânico, Chalice Blythe, alega: “Se cursos religiosos são permitidos nas escolas, nós queremos espalhar nossos clubes por toda a nação para garantir que múltiplos pontos de vista estejam representados“.[i]
Patrocinado pelo Santanic Temple, o After School Satan Club começou em novembro de 2016 no Sacramento Elementary School, em Portland, Oregon. Na ocasião, houve numerosas reclamações, protestos e campanhas de rosários organizados por pais, professores e católicos locais. Segundo Lucien Greaves, seu cofundador, “o clube está aqui para contrastar a presença dos evangélicos Good News Clubs, que estão aqui especificamente para proselitismo para as crianças“.
O Templo Satânico quer abrir pelo menos nove Clubes de Satanás, que exporão crianças com idade entre 4 a 12 anos à influência maléfica de Satanás. Seu programa propõe ensiná-las a:[ii]
– Negar a existência de Deus;
– Rejeitar a idéia de castigo eterno para o mal ou recompensar para o bem;
– Fomentar a falta de preocupação com o pecado e o inferno;
– Substituir a caridade cristã por um humanitarismo ateísta;
– Fazer oposição aos clubes cristãos em escolas públicas.
Como esse programa assusta, a meta do Clube Satânico é – pelo menos – que o ensino religioso nas escolas seja proibido. É o que afirma Chalice Blythe à BBC Brasil: “Se o medo de os satanistas chegarem às escolas públicas for suficiente para justificar que todos os clubes religiosos sejam proibidos, veremos isso como um resultado positivo […] os Clubes de Boas Notícias não deveriam ser permitidos em escolas públicas porque são uma ferramenta usada por fanáticos evangélicos para fazer proselitismo e doutrinar crianças jovens em sua visão extremista de mundo“. Assim, compreende-se o significado das palavras da procuradora Deborah Duprat quando afirmou que “a escola é um lugar estratégico para o fim das ideologias religiosas, que apresentam a escola como a criação dos deuses”.[iii]

Revolução satânica

A revolução satânica está mexendo o tecido moral da nossa nação – declarou o Sr. John Horvat, vice-presidente da TFP americana e autor do ‘best-seller’ Return to Order –adormecendo a nossa cultura de horror ao pecado e preparando o caminho para aberrações mais sórdidas. Por exemplo, uma missa negra satânica foi realizada em Oklahoma City e uma estátua da Santíssima Virgem Maria foi profanada em frente à antiga Catedral São José na mesma cidade, na Véspera de Natal.”
Algumas semanas antes de se realizar a missa negra, a TFP Student Action (Ação Estudantil TFP) lançou em seu site na internet um protesto contra tal ato sacrílego. Mais de 150 mil pessoas enviaram e-mail ao governador e ao prefeito de Oklahoma City, solicitando-lhes abolir o ato. A America Needs Fatima e a TFP Student Action são campanhas da TFP americana e coletaram 47 mil assinaturas. Por sua vez, o site Citizen Go recolheu 107 mil, elevando  o total de assinaturas contra a missa negra para mais de 306.00 mil. Em que pese seu elevado número, elas foram absurdamente ignoradas pelas autoridades estaduais e municipais!
Após longo silêncio da mídia, a BBC Brasil comentou em recente reportagem a propósito da campanha da TFP americana: “Em coro com diversos grupos religiosos, a conservadora TFP (Tradição, Família e Propriedade) americana reagiu, classificando o projeto como ‘sacrilégio’ e convocando fiéis a protestarem ‘pelo retorno da moral cristã’. ‘Precisamos frear a popularidade do satanismo’, destacou a entidade, endossando uma onda de abaixo-assinados criados por igrejas para proibir cursos satânicos para crianças”. [iv]
Aborto e homossexualismo: bandeiras do demônio
Lucien Greaves, segundo a reportagem da BBC, “tem como bandeiras (…) a legalização do aborto e do casamento entre pessoas do mesmo sexo
O ex-sacerdote satanista Zachary King, por sua vez, comenta que “o aborto é um ‘sacramento’ satânico. Assim como os homens católicos se tornam sacerdotes porque eles são atraídos para a santidade e para o trabalho para Deus, uma clínica de aborto atrai satanistas.”[v]
Quanto ao homossexualismo, disse Nosso Senhor a Santa Catarina de Siena:
Esses infelizes  [ …] caem no vício contra a natureza. São cegos e estúpidos cuja inteligência obnubilada não percebe a baixeza em que vivem.
“Desagrada-me esse último pecado, pois sou a pureza eterna. Ele me é tão abominável que somente por sua causa fiz desaparecer cinco cidades (cfr. Sab. 10, 6). Minha justiça não mais consegue suportá-lo.
“Esse pecado, aliás, não desagrada somente a mim. É insuportável aos próprios demônios, que são tidos como patrões por aqueles infelizes ministros. Os demônios não toleram esse pecado. Não porque desejam a virtude; por sua origem angélica, recusam-se a ver tão hediondo vício. Eles atiram as flechas envenenadas de concupiscência, mas voltam-se no momento em que o pecado é cometido”.
Como podemos notar, a ideologia de gênero, o aborto, o homossexualismo e muitas outras ideologias atuais têm como autor ou inspirador aquele que um dia se revoltou contra Deus e gritou: “Non Serviam!” (não servirei). Tal revolta se manifesta ainda hoje e tem como objetivo a destruição da civilização cristã.
_____________________________
[i] http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40784156 – acessado em 06/08/2017
[iii] https://ipco.org.br/ipco/por-que-o-socialismo-odeia-a-familia/
[iv] http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40784156
[v] https://ipco.org.br/ipco/videos-revelam-a-dimensao-diabolica-da-industria-do-aborto/#.WYZVblGGPIU

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Ideologia de gênero e baldeação ideológica inadvertida

Ideologia de gênero e baldeação ideológica inadvertida








Foi lançado recentemente na Espanha o livro Cuando nos prohibieron ser mujeres y os persiguieron por ser hombres: Para entender cómo nos afecta la ideología de género (Quando nos proibiram ser mulheres e vos perseguiram por serem homens: Para se entender como a ideologia de gênero nos afeta), da filóloga e professora Alicia Rubio (foto ao lado). Após o lançamento, a autora vem sofrendo perseguições e recebendo comunicações de última hora anunciando que suas conferências públicas sobre o tema estão proibidas.
Em entrevista ao blog En Cuerpo y Alma, transcrita pelo site religionenlibertad.com[i], a professora afirma que “a ideologia de gênero é uma construção doutrinária, uma verdadeira ideologia através dos postulados que impõe”. Ou seja, tal ideologia “afirma que não há homens nem mulheres naturais, mas que homens e mulheres são frutos dos convencionalismos, dos aprendizados sociais e imposições. Dessa forma, todos podemos ser homens ou mulheres conforme decidimos… Como estas propostas são bastante extremistas e fora da realidade, elas devem ser impostas mediante leis e educando os menores dentro desta perspectiva o mais rapidamente possível.

Luta de classe entre os sexos

Segundo a professora, “[a ideologia de gênero] surge de um feminismo que odeia o varão, a quem considera a causa de todos os males da mulher. (…) Essa interpretação da natureza humana é a chave do ódio ao varão e desprezo pela mulher, as suas condicionantes biológicos, a maternidade. Com uma aplicação da luta de classes entre os sexos, resulta um instrumento excelente para controlar, e inclusive reduzir drasticamente a população, pelo que começa a ser adotada por organismos internacionais relacionados com a demografia e a irradiar-se através de uma ONU empenhada nesse controle populacional.
A ideologia de gênero caminha a passos rápidos em alguns países, mas tem encontrado obstáculos de ordem moral em outros. Assim, a Profa. Rubia observa que “há países aos quais eu chamo de ‘cobaia’, nos quais as diferentes políticas de gênero têm sido implantadas mediante todo tipo de imposições e manipulações da opinião pública. Como se pode comprovar, o funcionamento de tais estratégias era utilizado em outros países. Em alguns países em que a agenda de gênero está completamente assentada, tem passado já a fase dos despropósitos em que a população nocauteada aceita qualquer aberração jurídicaEm outros, pelo contrário, a coisa está menos avançada, e como se tenta cortar etapas para igualá-los com os pioneiros, a população está se rebelando. Nesses países a pressão está sendo radical e sem dissimulação”.
Resistência contra a ideologia de gênero na ex-URSS
A Profa. Rubia revela que “há países na América hispânica que estão tentando frear as legislações de gênero impostas por governo de todas as cores, que seguem os ditames da agenda de gênero à margem dos desejos de alguns cidadãos que são ignorados. Mas a rebelião mais efetiva provém dos países que pertenceram à URSS, vítimas da reengenharia social comunista, que têm detectado nesta nova ideologia alarmantes semelhanças com o totalitarismo que já viveram. Assim, Hungria, Polônia, Croácia… tentam defender-se das imposições de organismos internacionais para estabelecer as políticas de gênero”.

Baldeação ideológica inadvertida

Em entrevista concedida a uma rádio no dia 7 de abril p.p., a Profa. Rubia declarou que a ideologia de gênero “está tentando converter a masculinidade em ‘machismo’. E ‘machismo’ maltrata. Quer dizer, é uma concatenação [de ideias] que se chama baldeação ideológica inadvertidaa qual quer transformar ‘masculinidade’ em ‘maltrato’, passando antes por ‘machismo’”.
Em janeiro de l966, o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira publicou o livro Baldeação Ideológica Inadvertida e Diálogo[ii], no qual descreve como a Revolução utiliza certas palavras carregadas de energia talismânica, com uma conotação diferente de seu significado semântico, para levar as pessoas a uma verdadeira transformação ideológica. No capítulo II, item 5, desse livro, o autor nos traz um exemplo característico de baldeação ideológica. Vejamos:
“Exemplifiquemos sumariamente, com base na tão difundida trilogia da Revolução Francesa, como uma pessoa infensa ao comunismo pode ser baldeada inadvertidamente para este.
‘Liberdade, Igualdade, Fraternidade’: claro está que nenhuma destas palavras tem um sentido intrinsecamente mau. Sem embargo, delas facilmente se pode abusar.
“Assim, desde que se excite ao máximo em um paciente, por meio de uma hábil propaganda, a paixão da liberdade, pode-se criar nele a apetência desordenada de um estado de coisas em que não haja poder público nem leis. A natureza humana decaída tende facilmente para tal. E os germes ideológicos legados ao mundo pela Revolução Francesa estão carregados de estímulos nesse sentido. Ora, este é também o termo em que, segundo os doutrinadores do marxismo, deve desfechar em sua fase final o Estado totalitário comunista.
“Da exacerbação do apetite de igualdade – tão fácil dada a tendência do homem para a inveja e a revolta – resultam logicamente o ódio de toda hierarquia social e econômica, e o igualitarismo total, inerente ao regime comunista já desde a fase do capitalismo de Estado e da ditadura do proletariado.
“Uma vez exacerbada a ideia de fraternidade, se chega ao ódio de tudo quanto separa e diferencia proporcionada e legitimamente os homens, e, pois, ao anseio da abolição de todas as pátrias, para a instauração de uma república universal: outro objetivo do comunismo.
“Escolhemos como exemplo esses três anseios porque a nosso ver eles ocupam, na bolchevização do Ocidente, um papel capital. Exagerada a estimação destes três valores na mente de alguém, criado em torno deles um clima emocional desequilibrado, é fácil levar o paciente, de etapa em etapa, a um reformismo liberal e igualitário que, tornando-se sempre mais radical, induza primeiramente à simpatia e à cooperação com os comunistas, para chegar afinal à aceitação do próprio comunismo, tido como a realização absoluta e perfeita da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade.”
Dr. Plinio também nos mostra em sua obra que a melhor maneira de tirar a força mágica da palavra-talismã é “exorcizá-la” mediante a explicitação. Do mesmo modo, o combate à ideologia de gênero se faz denunciando-a em todos os seus aspectos, mostrando toda a sua maldade em seus métodos e táticas para destruir a imagem de Deus no homem.
_________________________
[i] http://www.religionenlibertad.com/vivir-del-dinero-publico-acallar-disidentes-adoctrinar-ninos-los-pasos-58444.htm – acessado em 31/07/2017.
[ii] http://www.pliniocorreadeoliveira.info/livros/1965.pdf